Reforço positivo e sua influência na Educação Infantil

Autores

  • Sinara Barbosa de Santana Centro Universitário FTC
  • Caísa Vitória Oliveira dos Santos Centro Universitário FTC
  • Quéren Mileide Martins Silva Centro Universitário FTC
  • Steffany Silva de Souza Centro Universitário FTC
  • Gênesis Soares Centro Universitário FTC

Palavras-chave:

Reforço Positivo, Educação Infantil, Prática Educativa, Crianças, Behaviorismo

Resumo

A partir das influências Behavioristas de Skinner, que propôs a tríplice
contingência e o conceito de reforço positivo, surgiram muitas perspectivas sobre como deve ocorrer o processo de educação não repressiva de crianças. Assim, este trabalho tem como objetivo realizar uma revisão bibliográfica com o intuito de realizar reflexões a partir do mapeamento dos estudos produzidos no cenário nacional.

Acesse o debate no evento aqui.

Referências

BAUM, W. M. Compreender o Behaviorismo. Comportamento, Cultura e Evolução. 3 ed. Porto Alegre. Arttmed. 2019.

BOCK, A. M. B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. DE L. T.. Psicologias Uma Introdução ao Estudo de Psicologias. 15 ed. São Paulo. Saraiva Educação. 2018.

CABELEIRA, João Pedro Rodrigues. Reforço positivo e aprendizagem cooperativa: estratégias facilitadoras do sucesso de alunos desmotivados.

Dissertação de Mestrado (Ensino das Artes Visuais.). Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias . Lisboa, 2013.

CATANIA, A. C. Aprendizagem: comportamento. Linguagem e Cognição. 14 ed. Porto Alegra. Artes Médicas Sul. 1999.

COSTA, Y.H.S., FERMOSELI, A.F.O, LOPES, A.P. Análise Do Comportamento No Processo De Ensino-Aprendizagem Na Educação. Ciências Biológicas e da Saúde. V. 2. n.1. p. 213-226. 2014. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/1414. Acesso em: 01/05/2023.

GUIMARÃES, R. P. Deixando o Preconceito de Lado e Entendendo o Behaviorismo Radical. Psicologia Ciência e Profissão. V.23. n.3. p. 60-67. 2003.

LA ROSA, J. DE. Psicologia e Educação. 7 ed. Porto Alegre. EDIPUCRS. 2003.

MARINHO, M. L. Subsídios ao terapeuta para análise e tratamento de problemas de comportamento em crianças: quebrando mitos Psicologia clínica e da saúde (p.3-31). Londrina: UEL. 2001. Disponível em: In M.L. Marinho & V.E. Caballo (Orgs.). Acesso em: 24/03/2023.

ROSE, J.C. DE, Análise Comportamental da Aprendizagem de Leitura e Escrita. Revista Brasileira de Análise do Comportamento. v. 1, n.1, p. 29-50. 2005. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/rebac/article/view/676. Acessado em: 03/04/2023.

SALVADOR, A.P.V., WEBER, L.N.D. Práticas Educativas Parentais: um estudo comparativo da interação familiar de dois adolescentes distintos. Interação em Psicologia, Curitiba, (9)2, p. 341-353, 2005. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/psicologia/article/view/4782/3669. Acesso em: 05/05/2023.

SANTOS, E. L. N. dos; LEITE, F.L. A distinção entre reforçamentos positivo e negativo em livros de ensino de análise do comportamento. Perspectivas, SSão Paulo, v. 4, n. 1, p. 10-19, 2013. Disponível em: https://revistaperspectivas.emnuvens.com.br/perspectivas/article/view/101. Acesso em: 28/03/2023

SOARES, M.R.Z., SOUZA, S.R., MARINHO, M.L. Envolvimento Dos Pais: Incentivo À Habilidade De Estudo Em Crianças. Estudos de Psicologia, Campinas, v.21, n.3, p.253-260, setembro/dezembro 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/estpsi/a/zkmXhRmpzKZFrQSZnKw3wfj/abstract/?lang=pt. Acesso em: 28/03/2023.

WATSON, J.B. Clássico Traduzido: A psicologia como o behaviorista a vê. Temas em Psicologia. Vol. 16. n. 2. p.289-301. 2008

Downloads

Publicado

25-06-2023

Como Citar

Barbosa de Santana, S., Oliveira dos Santos, C. V., Martins Silva, Q. M., Silva de Souza, S., & Guimarães Soares, G. (2023). Reforço positivo e sua influência na Educação Infantil. Anais Do Congresso Nacional Universidade, EAD E Software Livre, 1(15). Recuperado de https://ueadsl.anais.nasnuv.com.br/index.php/UEADSL/article/view/1125